sobre

Igreja Matriz de Valongo

Data de 1793, a portaria que autorizava a edificação, assinada por D. João VI.

Em 1837 a sua sacristia serve as primeiras reuniões camarárias do novo concelho de Valongo. Contribuíram para a construção desta igreja, as monjas do Mosteiro de S. Bento de Avé Maria do Porto e o produto do labor dos padeiros de Valongo.
As suas paredes, com mais de dois séculos já passados e apesar da sua altura superior a vinte metros ainda mantêm todo o seu prumo e alinhamento. O corpo central é coroado por um frontão triangular com a imagem de S. Mamede complementada com quatro painéis de azulejos,
representativos da vida do santo, que ladeiam as torres sineiras. O amplo pórtico de forma retangular é todo ele rematado em cantaria e encimado por três amplos janelões sendo o central ornamentado por azulejo com as armas de S. Pedro.

Entre 2009 e 2010, sofreu de uma grande intervenção a nível da cobertura e da nave, onde foram intervencionadas as pinturas das paredes e abóboda. Nesta mesma altura, foi feito o restauro do órgão de tubos.

Celebramos em 2023, o bicentenário da Sagração do Altar na Igreja Matriz. A esta comemoração, tão importante na nossa comunidade, inaugurou-se a obra de ampliação do Batistério, contando com a presença do Sr. Bispo do Porto, D. Manuel Linda.

O QUAM METUENDUS EST VOCUS ISTE! VERE NON EST HIC ALIUD NISI DOMUS DEI ET PORTA COELI. Gen XXVIII 17

Que terrível é este lugar! Aqui é a casa de Deus, aqui é a porta do céu. (Gen. XXVIII, 17)

Inscrição no vão central da fachada principal da Igreja Matriz.